Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Valentine

um blog indefinido e mesclado como só ele sabe ser

A minha relação com a Rádio em 5 momentos

 

 

 

  Apesar de agora ser mais Spotify, em tempos fui muito Rádio. Desde as viagens de carro com o meu pai até à escola até às horas passadas no meu próprio carro entre casa e a universidade, sempre adorei ouvir Rádio. Passei por várias estações de eleição e recordo momentos bem giros passados com esta companheira. Estes são os meus 10 momentos/sentimentos/coisas de relação com a Rádio: 

 

1 - Quando era pequena, ouvia religiosamente a Guerra dos Sexos nas manhãs da RFM com a Carla Rocha e o Zé Coimbra. Se percebia alguma coisa daquilo? Não, e estava longe de sonhar saber qualquer uma daquelas respostas. Mas torcia sempre pelo sexo feminino

 

2 - Depois da RFM, a Rádio das manhãs com o meu pai foi a Cidade FM. Por causa da Joana Azevedo ter o mesmo nome que eu, achei que o meu futuro seria como locutora de Rádio. Até ter ouvido a minha voz na Rádio e ter detestado

 

3 - No meu 12º aniversário, o meu pai ligou para a RFM porque estavam a felicitar quem fazia anos naquele dia, 29 de fevereiro. Recebi os parabéns e ainda tive direito a uma piadinha que foi algo deste género: "Chega ao pé do pai e diz 'Pai, quero ver os Morangos com Açúcar'. Qual quê, tens 3 anos, vai mas é ver o Ruca". Nesse dia, deram-me os parabéns em directo na Rádio e ainda tive direito a ir ao Você na TV só por ter nascido neste dia peculiar. Sim, eu fui ao programa. Não, não há gravações. 

 

4 - Também perdida nos tenebrosos tempos da minha pré-adolescência está a minha primeira participação na Rádio. Apresentei uma música do Top 8 às 8 da Cidade FM e senti-me a última bolachinha do pacote porque um colega meu de turma estava a ouvir a emissão e reconheceu a minha voz. "E agora, no Top 8 às 8, em 6º lugar, "Say it right" da Nelly Furtado ft Timbaland." Coitadinha, a Nelly não estava lá muito bem colocada. 

 

5 - Infelizmente, este momento aconteceu já em idade quase adulta. Dei uma entrevista na RUA, a Rádio Universitária do Algarve, para promover um evento que tinha organizado para a cadeira de Culturas Fílmicas e Cinematográficas. A conversa estava a fluir tão bem que eu aproveitei o momento para falar da exibição da curta metragem de um amigo meu que ia acontecer naquele dia. Achei que tinha sido a melhor amiga do mundo, até ter descoberto que tinha dito o local errado da exibição em directo na Rádio. A definição de cringe podia muito bem ser a minha reacção quando me apercebi do que tinha feito. 

 

Se havia mais momentos para descrever esta relação? Sim, mas estes pareceram-me adequados. Hoje em dia, oiço muito pouco mas acompanhou-me em momentos tão bons que achei por bem assinalar o Dia Mundial da Rádio, ainda que quase no fim, com este post. 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.