Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Valentine

um blog indefinido e mesclado como só ele sabe ser

crise literaturial

Na sexta-feira, apresentação de trabalhos orais de Espanhol, uma colega minha, cujo trabalho era sobre "Contos Infantis", mencionou que o tinha feito pois eu lhe tinha recomendado há um tempo atrás o livro "Psicanálise dos Contos de Fadas" de Freud, o grande mestre. Daí até travar uma discussão sobre Freud com a minha prof de Espanhol foram 2 segundos (se bem que a tonta se lembrou de dizer que Freud não era assim tão mestre quanto isso, BITCH PLEASE! Nisto, no intervalo, quando saímos da aula, vira-se um outro colega meu e pergunta-me onde é que eu vou buscar tanta cultura. Juro que fiquei super lisonjeada.

Li o meu primeiro livro com 7/8 anos, foi a "Cinderela", uma daquelas versões pequeninas que a minha mãe comprava às colecções para me incentivar (algo que eu hoje agradeço do fundo do coração), e desde aí, poucas foram as vezes em que não estava a ler um livro. Isso leva-me ao problema da minha geração, falta de hábitos de leitura, o que por si só, origina falta de respeito, falta de hábito de ouvir, pois, um bom leitor sabe ouvir tudo o que alguém lhe possa dizer e absorver toda a informação que pode vir a ser útil um dia. Temática também discutida com o meu professor de Filosofia na aula passada.

E, já agora, ando com uma crise literaturial. Agarro num livro, leio 20 páginas e aborreço-me da história. O último bom livro que li, que me agarrou ali com força, foi o "Como Deus Manda" de um autor italiano algo consagrando, livro que aconselho a tudo e todos. Por isso, RECOMEDEM-ME LIVROS QUE EU ESTOU A MORRER!

 

(eu e o meu sonho de abrir uma livraria)


5 comentários

Comentar post