Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Valentine

um blog indefinido e mesclado como só ele sabe ser

505

 

 

 

 

 

 

 

Para sempre. Sentir o teu toque na minha pele. A tua voz sussurrante no meu ouvido. O teu odor intacto no meu olfacto. O teu olhar preso no meu. Oh, meu doce veneno, minha desgraça oscilante, porquê? Explica-me porque sinto tudo isto sem alguma vez ter sentido o teu toque, ou sequer ouvido a tua voz. Não és mais que uma miragem no meu deserto, onde eu me perco, sozinho. Combato moinhos, tal qual herói de Cervantes, procurando um caminho que me leve ao teu encontro.

Não, não peço mil e uma noites de amor contigo. Não tenho forças para tal, esta jornada deixou-me exausto. Semeei um cento de árvores sem obter qualquer fruto ou flor. Pobres aqueles que vivem uma paixão platónica como a minha. Uma paixão platónica elevada ao expoente máximo de dor suportável por um frágil e débil ser humano.

  - Vicente Coutinho

3 comentários

Comentar post